Um bebê aparece sorrindo enquanto toma banho em uma bacia
Joênia Silva/Arquivo Pessoal

A hora do banho virou momento de alegria para o pequeno Ruan, de 1 ano e 10 meses. Sentado na bacia, ele recebe uma ducha da mãe com um chuveirinho improvisado feito a partir de furos em uma garrafa pet cheia de água. Assim, Joênia Silva aproveita o banho para potencializar as habilidades do filho.

A ideia surgiu em uma das visitas que a família recebeu da agente municipal. Em Campina Grande, na Paraíba, a gestão pública realiza visitas às famílias e oferece orientações sobre atividades que promovam o desenvolvimento cognitivo na primeira infância. 

Para ajudar as famílias a potencializar o bem-estar e o desenvolvimento de crianças menores de 6 anos, os municípios participantes do Selo UNICEF buscaram promover o fortalecimento das competências familiares no cuidado de meninos e meninas, especialmente daqueles mais vulneráveis. Nesta edição do Selo UNICEF, os municípios participantes capacitaram 5.470 funcionários da atenção básica, assistência social e educação para ajudar as famílias a reconhecer as diferentes necessidades das crianças (confira aqui).

Com isso, Joênia aprendeu a transformar a hora da comida e do banho em oportunidades de incentivar a autonomia e a confiança do filho. Ações simples se mostraram boas formas de fortalecer a coordenação motora de Ruan e ampliar o vínculo entre mãe e filho.

Hoje ela comemora os avanços do pequeno.

“As informações que recebi me ajudam a incentivar e deixar meu filho se desenvolver”, diz.

Selo UNICEF

O fortalecimento das competências familiares para ajudar no desenvolvimento de crianças faz parte das políticas públicas que devem ser priorizadas pelos municípios participantes do Selo UNICEF – Edição 2017-2020.

A Edição 2017-2020 do Selo UNICEF conta com a participação de mais de 1.900 municípios de 18 Estados brasileiros. Eles assumiram perante o UNICEF o compromisso de implementar políticas públicas para a redução das desigualdades e de garantir os direitos das crianças e dos adolescentes previstos na Convenção sobre os Direitos da Criança e no Estatuto da Criança e do Adolescente.

A experiência das edições anteriores comprova que os municípios certificados com o Selo UNICEF avançam mais na melhoria dos indicadores sociais do que outros de características socioeconômicas e demográficas semelhantes, mas que não foram certificados ou não participaram da iniciativa.