Integrando a agenda do Selo UNICEF, os eventos foram realizados em parceria com a APDMCE e debateram estratégias para levar crianças e adolescentes de volta à escola, bem como ações para enfrentar os desafios de aprendizagem impostos pela pandemia

Estratégias para a ampliação de rematrículas escolares a partir da Busca Ativa Escolar e garantia de aprendizagem a meninos e meninas foram os temas centrais debatidos nos “Encontros pela Educação no Selo UNICEF – fortalecendo políticas públicas para crianças” no Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte, realizados durante o mês de agosto. Foram seis eventos (dois por estado) com participação total de 1.129 convidados de 448 municípios, entre técnicos municipais e especialistas em educação. Os encontros foram conduzidos em parceria com a Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Ceará (APDMCE), entidade implementadora do Selo UNICEF nos três estados.

Nos dias 2 e 3 de agosto, 452 representantes de 167 municípios cearenses participaram das capacitações sobre evasão escolar em Fortaleza. Realizado no Praia Centro Hotel, o evento teve como público técnicos municipais, secretários de Educação, coordenadores operacionais da Busca Ativa Escolar, articuladores do Selo UNICEF, mobilizadores da Educação, prefeitos, primeiras-damas e adolescentes.

A presidente da APDMCE, Sônia Fortaleza, desafiou os municípios a superarem a meta de 40% de rematrículas escolares estabelecida no Selo UNICEF. “É importante que a gente não entregue só o número, mas a qualidade. Pensar na frequência, mas também na permanência”, reforçou. O chefe do escritório do UNICEF em Fortaleza, Rui Aguiar, celebrou o retorno das atividades presenciais do Selo UNICEF e reforçou a prioridade em levar crianças e adolescentes para a sala de aula. “A criança não abandona a escola, a criança é abandonada”, destacou. 

Representando o UNICEF, a especialista em Educação Verônica Bezerra e a consultora Sandra Tiné dialogaram com os municípios sobre os principais motivos que levam ao abandono escolar. "Quando a gente faz uma lupa pra entender o que é que tem afastado essas crianças e adolescentes da escola, em geral as causas não passam exclusivamente pela educação. Nós temos o fenômeno das múltiplas violências como um fator muito forte. Também temos um certo desinteresse dos jovens pela escola, um descrédito que a escola pode ajudá-los num futuro diferente", explicou Verônica Bezerra. 

Adolescentes dos Núcleos de Cidadania de Adolescentes (NUCA) também marcaram presença na abertura dos encontros em Fortaleza. “A gente trabalha com direitos, educação, cultura, esporte. Eu acho muito interessante que os adolescentes participem porque podemos discutir vários temas e envolve bastante interatividade”, disse a estudante Sara Cristina Adriano, de 12 anos, do NUCA de Paraipaba, que fez uma apresentação musical no dia 2/8.

Participaram dos encontros no Ceará parceiros do Selo UNICEF, como o procurador do Trabalho Antonio Lima; Marcelha Pinheiro, do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social do Ceará (Coegemas-CE); a procuradora de Justiça Elizabeth Maria Almeida de Oliveira, coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Educação (Caoeduc); Davi Benevides, prefeito de Redenção, representando a Associação dos Municípios do Maciço de Baturité (AMAB) e a Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece); e Luiza Aurélia Teixeira, presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação do Ceará (Undime-CE).

Em Natal/RN, os encontros reuniram 337 participantes de 145 municípios nos dias 15 e 16 de agosto. Os eventos foram realizados no hotel Golden Tulip Natal - Ponta Negra e receberam técnicos municipais, secretários de Educação, coordenadores operacionais da Busca Ativa Escolar, articuladores do Selo UNICEF, mobilizadores da Educação e convidados.

Além da equipe da APDMCE e da Casa Renascer, instituições que implementam o Selo UNICEF no Rio Grande do Norte, os encontros de Natal contaram com a presença de Rui Aguiar, chefe do escritório do UNICEF em Fortaleza; Verônica Bezerra, especialista em Educação do UNICEF; Gabriela Mora, oficial de Desenvolvimento e Participação de Adolescentes do UNICEF; Claudência Dantas, coordenadora estadual da Busca Ativa Escolar na Secretaria Estadual da Educação do RN; e Joária Vieira, secretária municipal de Educação do Rio do Fogo e presidente da UNDIME RN.

Com 340 convidados de 136 municípios piauienses, os últimos Encontros da Educação organizados pela APDMCE foram sediados no Centro de Convenções Atlantic City Eventos, em Teresina/PI, nos dias 23 e 24 de agosto. Técnicos municipais e especialistas em educação debateram os impactos da pandemia de Covid-19 no acesso à escola e na garantia de aprendizagem para crianças e adolescentes. Participaram dos encontros, além de técnicos municipais e dos especialistas do UNICEF e da APDMCE, representantes da Associação Piauiense de Municípios (APPM), da Secretaria de Estado da Educação e da UNDIME PI.

EVASÃO - De acordo com o Censo Escolar de 2019, 15.102 alunos das redes municipal (excluindo a capital Fortaleza) e estadual do Ceará abandonaram a escola. No Piauí, o abandono escolar é de 12.925 meninos e meninas e, no Rio Grande do Norte, 14.760 crianças e adolescentes precisam retornar à sala de aula. O UNICEF trabalha com a meta mínima de 40% de rematrículas. Os encontros integram uma mobilização nacional do UNICEF para levar meninos e meninas de volta à escola, com 29 eventos realizados em 18 estados. As ações integram a agenda do Selo UNICEF no Semiárido e na Amazônia.