UNICEF convoca adolescentes para organização em rede e participação cidadã 

©UNICEF/BRZ/ FÁBIO HIRATA
©UNICEF/BRZ/ Fábio Hirata

 

Atividade faz parte do Selo UNICEF, iniciativa que estimula a garantia de direitos de crianças e adolescentes com o envolvimento de meninas e meninos na discussão de políticas públicas no Semiárido e na Amazônia Legal

 

O UNICEF e seus parceiros estão convocando adolescentes de 12 a 18 anos para integrar o núcleo de cidadania de adolescentes (NUCA) em seus municípios e garantir a participação cidadã nas discussões locais. Além de atuar como um espaço democrático de exercício da cidadania, os NUCAs são uma oportunidade para organização em rede, propiciando a discussão e reivindicação de direitos. O chamado faz parte da metodologia do Selo UNICEF, iniciativa que estimula avanços reais na promoção e garantia de direitos de crianças e adolescentes nos municípios do Semiárido e da Amazônia Legal.

Meninas e meninos dos 2.023 municípios que participam desta edição do Selo UNICEF (2021-2024) podem participar. A gestão municipal, por meio de uma pessoa responsável pelo NUCA denominada de mobilizador ou mobilizadora de adolescentes, é responsável por essa mobilização nos municípios. Como parte da metodologia, os NUCAs devem ter um mínimo de 16 integrantes, que devem estar cadastrados no U-Report, uma plataforma de consulta a adolescentes do UNICEF. E não há limite máximo, o ideal é que o grupo seja o mais diverso possível e represente diferentes perfis, a exemplo de raças e etnias, pessoas com deficiências, gêneros, local de moradia, comunidades tradicionais e originárias, entre outros. 

Ao longo desta edição do Selo UNICEF, o grupo participante pode definir prioridades locais, mas já inicia a participação com a missão de discutir quatro temáticas: empoderamento de meninas e promoção da igualdade de gênero; prevenção da gravidez na adolescência e promoção dos direitos à saúde sexual e à saúde reprodutiva; enfrentamento ao racismo e outras violências; e a promoção e mitigação dos riscos e impactos das mudanças climáticas sobre as crianças e adolescentes. Para garantir a implementação das ações sugeridas os NUCAs devem elaborar um Plano de Participação Cidadã de Adolescentes (PPCA) que deve ser incorporado no Plano de Ação Municipal pelo Direito de Crianças e Adolescentes e apresentado à sociedade em um fórum comunitário. 

Para a elaboração e implementação do plano, os grupos devem contar com o apoio de um mobilizador de adolescentes, além do suporte do UNICEF e de seus parceiros técnicos nos estados. A oficial da área de participação e desenvolvimento de adolescentes do UNICEF, no Semiárido brasileiro, Luiza Leitão, destaca que o protagonismo deve ser das meninas e dos meninos. “Eles contam com todo o suporte dos profissionais, acesso a conteúdo, mas o protagonismo é dos adolescentes. É uma oportunidade de desenvolver habilidades como liderança, comunicação e capacidade de encontrar soluções coletivas que poderão ajudar na trajetória para a vida adulta”, defende.

Rayanne França, oficial da área de participação e desenvolvimento de adolescentes do UNICEF, no Território Amazônico, explica que essa iniciativa fortalece a participação de adolescentes nos NUCAs, pois esse espaço é essencial na construção de vínculos sociais onde os adolescentes podem conhecer as diferentes realidades de outros adolescentes. “É possível sensibilizar a todos na garantia dos direitos de adolescentes indígenas, quilombolas, ribeirinhos e os que vivem em comunidades tradicionais a partir das suas vozes dentro dos NUCAs. E são nas trocas realizadas entre eles que a dimensão de participação cidadã se expande e avança na garantia de seus direitos”, esclarece. 

Os adolescentes também terão representação em instâncias como o Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e na Comissão Intersetorial do Selo UNICEF. O passo a passo para a criação dos NUCAs e as orientações para elaboração do plano e atividades ao longo da edição estão disponíveis no Guia de Participação Cidadã de Adolescentes. Na edição passada (Selo UNICEF 2017-2020), mais de 1.500 municípios de 18 estados da Amazônia Legal e do Semiárido Brasileiro investiram na criação, no fortalecimento e na mobilização dos Núcleos de Cidadania de Adolescentes.
 

Selo UNICEF – O Selo UNICEF é uma iniciativa do UNICEF para estimular e reconhecer avanços reais e positivos na garantia dos direitos de crianças e adolescentes em municípios do Semiárido e da Amazônia Legal brasileira. Ao aderir ao Selo UNICEF, o município assume o compromisso de manter a agenda de suas políticas públicas pela infância e adolescência como prioridade. A metodologia da iniciativa inclui o monitoramento de indicadores sociais e a implementação de ações que ajudem o município a cumprir o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Para a mobilização, suporte técnico e acompanhamento dos municípios, a iniciativa é realizada a partir de muitos parceiros. Na Amazônia, a implementação das ações é feita pelo Instituto Formação, Instituto Peabiru e Visão Mundial. E no Semiárido os parceiros técnicos são a Associação para o Desenvolvimento dos Municípios do Ceará (APDMCE), a Asserte e o Centro Dom José Brandão de Castro (CDJBC).  


Sobre o UNICEF - O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em mais de 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

Serviço


Para cadastro no U-Report e inclusão no NUCA:


- Envie NUCA21 no whatsapp para o número 61 9687-1768 ou para o inbox do Facebook U-Report Brasil