Encontro entre Visão Mundial e Peabiru mobiliza mais de 300 profissionais da área de educação

 

 

Encontro entre Visão Mundial e Peabiru mobiliza mais de 300 profissionais da área de educação

Na última terça-feira (23/05),  equipes de educação de oito estados da Amazônia participam do encontro online para tirar dúvidas  sobre as entregas dos Resultados Sistêmicos 1 e 2
Na última terça-feira (23/05),  equipes de educação de oito estados da Amazônia participam do encontro online para tirar dúvidas  sobre as entregas dos Resultados Sistêmicos 1 e 2

 

Mais de 300 profissionais da área da educação participaram na última terça-feira,23/05, do encontro virtual para tirar dúvidas sobre as atividades dos Resultados Sistêmicos 1 e 2 do Selo UNICEF, referentes à qualidade de educação nos municípios, que têm prazo de entrega até o dia 31 de maio. O evento foi promovido pela Visão Mundial, organização implementadora do Selo UNICEF, 2021-2024, nos estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima; e pelo Instituto Peabiru, responsável pela iniciativa nos estados do Pará, Amapá, Mato Grosso e Tocantins.

O tira-dúvidas contou com a participação das equipes municipais de mais de 95 municípios, entre mobilizadores de educação; coordenadores operacionais da Busca Ativa Escolar; coordenadores pedagógicos do ensino fundamental; coordenadores pedagógicos da educação infantil; além de gestores da educação infantil e ensino fundamental. O encontro foi conduzido de forma integrada pelos mobilizadores de educação da Visão Mundial, Benjamin Souza, e do Instituto Peabiru, Luciana Kellen.

“A parceria com o Instituto Peabiru tem crescido ao longo dessa edição do Selo UNICEF e, principalmente, auxiliado as equipes municipais do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima a trocarem experiências sobre suas práticas e conseguirem realizar as atividades com mais propriedade e antecedência. Esse encontro que contou com ampla participação dos profissionais da área de educação é uma demonstração do engajamento e comprometimento com a qualidade de educação de nossas crianças”, enfatizou Lucinete Bezerra, coordenadora de projetos da Visão Mundial.

“Esse foi um momento riquíssimo, pois conseguimos tirar as dúvidas. Com a metodologia de acessar o site de pesquisas do UNICEF e mostrar como preencher os formulários, facilita muito a compreensão para todos. Espero que isso aconteça sempre para todas as metas que devemos entregar ao decorrer de todo o Selo UNICEF”, declarou Rayane Marinho, mobilizadora de educação do município de Altamira no Pará.

Segundo o coordenador de projetos pelo Instituto Peabiru, Cláudio Melo, a parceria com a Visão Mundial é uma forma de fortalecer os municípios na realização das atividades. “É muito satisfatório ver a participação em massa dos municípios do Pará, Mato Grosso, Amapá e Tocantins, pois demonstra o compromisso da gestão municipal com a qualidade da educação. Foi um momento de muito aprendizado para todos e, sem dúvidas, de avanço nas atividades que precisam ser entregues até o dia 31 de maio”, ressaltou Cláudio.

“Os tira-dúvidas vêm sendo de extrema importância para o nosso município, pois estamos  aprimorando ainda mais nosso conhecimento e compartilhando nossas experiências com outros municípios, o que vem fortalecer ainda mais o ensino e aprendizagem com qualidade da educação do nosso município, trazendo benefícios de aprimoramento em nossas práticas pedagógicas. O nosso maior desafio ainda é o acesso à internet, o que dificulta acompanhar os encontros online, mas sempre nos esforçamos para assistir e tirar as dúvidas da equipe”, afirmou Jandson Mendes, gestor escolar em Autazes, no Amazonas.

Para Ana Benedita, coordenadora municipal de educação infantil do município de Portel, no Pará, o encontro foi primordial para avançar nas entregas. “Com a live conseguimos sanar 100% as dúvidas sobre o Indique. Então foi muito proveitoso para todos nós aqui de Portel no Marajó, que conseguimos acompanhar toda a live, com explicações que ajudaram bastante. E o principal tiramos nossas dúvidas”, compartilhou Ana Benedita.

A mobilizadora de educação pelo Instituo Peabiru, Luciana Kellen, avalia o encontro como um momento que expõe potências e desafios dos municípios. “A diversidade de dúvidas vindas de municípios amazônicos com realidades tão diversas, junto com suas experiências são fundamentais em momentos como esse. Eles trocam experiências com as dúvidas, e nós podemos aprofundar as orientações”, destacou.

“Foi um encontro muito produtivo, pois foi mais de duas horas que passamos reunidos com as equipes de educação, onde todos tiveram um momento para perguntar, mas também muitos profissionais trouxeram suas contribuições sobre como estão realizando as atividades em seus municípios e compartilharam suas boas práticas. Com isso, foi possível verificar o quanto os municípios estão se dedicando para cumprir essa atividade com êxito e qualificar a educação em seus municípios”, explicou Benjamin Souza, mobilizador de educação.

As atividades com prazo até dia 31 de maio são: Resultado Sistêmico 1 - Autoavaliação Indique; e Registro das práticas de educação infantil; e Resultado Sistêmico 2 - Registro do Enfrentamento da Cultura do Fracasso Escolar; e primeira etapa da Busca Ativa Escolar (BAE).

Busca Ativa Escolar

A Busca Ativa Escolar é uma estratégia composta por uma metodologia social e uma ferramenta tecnológica disponibilizadas gratuitamente para estados e municípios. Foi desenvolvida pelo UNICEF e pela  União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), além do apoio do Colegiado de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). A intenção é apoiar os governantes na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou risco de evasão.

A Busca Ativa Escolar reúne representantes de diferentes áreas – Educação, Saúde, Assistência Social, Planejamento, fortalecendo, dessa forma, a rede de proteção e o Sistema de Garantia de Direitos da infância e adolescência. Cada secretaria e profissional tem um papel específico, que vai desde a identificação de uma criança ou adolescente fora da escola, ou em risco de abandono, até a tomada das providências necessárias para seu atendimento nos diversos serviços públicos, sua (re)matrícula sua permanência na escola.