Ao longo de mais de um mês, representantes de 249 municípios baianos participaram de encontros que marcaram o 3º Ciclo de Capacitação do Selo UNICEF. Equipes do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), seus parceiros e gestores municipais das áreas de educação, saúde e assistência social, além de articuladores e mobilizadores de adolescentes se reuniram em cinco cidades: Barreiras, Irecê, Senhor do Bomfim, Vitória da Conquista e Feira de Santana.

Ao abordar educação, saúde e protagonismo dos adolescentes, o encontro motivou os participantes a reafirmar o compromisso em defesa dos direitos de crianças e adolescentes através da implementação de políticas públicas. 
Durante o encontro, a coordenadora do Selo UNICEF para os estados da Bahia, Minas Gerais e Sergipe, Ana Carla Carlos, conversou com os participantes da capacitação sobre prevenção e políticas de tratamento adequado da sífilis congênita. A agenda contou ainda com a apresentação de relatos de experiência dos Núcleos da Cidadania dos Adolescentes (NUCAs) instalados nos municípios participantes.

Para abordar os temas relacionados à educação, foi convidada Daniela Rocha, consultora de educação do UNICEF, que debateu a importância da intersetorialidade na implementação das políticas, apresentou Trajetórias de Sucesso Escolar no enfrentamento da distorção da idade-série e destacou a importância da articulação com o território e a relação escola-família-comunidade.

Garantir a busca ativa

Após apresentar dados de pesquisa que apontam a evasão escolar e a distorção idade-série como alguns dos principais problemas educacionais presentes na realidade dos estudantes baianos, Daniela Rocha discutiu estratégias de busca ativa educacional, a fim de identificar crianças e adolescentes que estão fora da escola. Ao final, os participantes deixaram a capacitação munidos de Planos de Trabalho contendo ações de busca ativa escolar, elaborados por eles mesmos durante o encontro sob a supervisão de Daniela Rocha.

O município de Ribeira do Amparo/BA já começou o processo de busca ativa de crianças e adolescentes que estão fora da sala de aula. Lucivan Soares Santana, Secretária Municipal de Educação, explicou que a ação teve início com a criação de um Comitê Gestor, que elaborou um Plano de Ação e montou uma uma equipe para atuar em campo. Técnicos das áreas de saúde, educação, assistência social e conselheiros tutelares ajudaram a mapear as 81 crianças e adolescentes fora da sala de aula no município.

Após identificadas, as famílias dos meninos e meninas receberam visitas de equipes multidisciplinares para que a gestão municipal pudesse compreender os motivos que levaram à evasão escolar. “Ficou pactuado que a partir de 2019, todas essas crianças serão buscadas novamente para serem matriculadas na nossa rede municipal”, conta a secretária de educação, reforçando a importância do trabalho intersetorial.

Tecnologia aliada à prevenção da evasão escolar

Como forma de motivar meninos e meninas a permanecerem em sala de aula, prevenindo assim a evasão escolar, o município de Feira de Santana apostou no uso das tecnologias da comunicação por meio do projeto "Feira que te quero ver". A iniciativa é interdisciplinar e envolve estudantes dos anos finais do ensino fundamental, que utilizam celulares como instrumento para a promoção da cultura. Por meio do projeto, os estudantes criam vídeos, fotografias e e-books sobre monumentos, personalidades e grupos culturais de Feira de Santana.

Iva Mara, representante da Secretaria Municipal de Educação e coordenadora do projeto, conta que a iniciativa renovou os ânimos de crianças e adolescentes que já não demonstravam mais interesse pela escola. “Quando elas começaram a trabalhar esse projeto, elas passaram a perceber que podem utilizar o que tem nas mãos para o próprio aprendizado. O resultado que elas têm é a descoberta de grandes potencialidades dentro da sala de aula”, destacou com orgulho.

O Selo UNICEF

A Edição 2017-2020 do Selo UNICEF conta com a participação de mais de 1.924 municípios de 18 estados brasileiros, na Amazônia e no Semiárido. Seu sucesso é resultado da parceria entre o UNICEF e governos estaduais e municipais por meio da atuação integrada entre diferentes níveis de governo voltados às crianças e adolescentes. 

Alcançar os mais de 1.900 municípios que participam do Selo UNICEF só é possível graças ao apoio de milhares de doadores individuais e de parceiros corporativos como Amil, Instituto Net Claro Embratel, Fundação Itaú Social, RGE, Enel, Coelba, Cosern, Celpe, BNDES, CPFL, Sanofi, Neve, Energisa, Celpa e Cemar. Mais informações sobre o Selo UNICEF em www.selounicef.org.br.


Sobre o UNICEF

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) promove os direitos e o bem-estar de cada criança em tudo o que faz. Com seus parceiros, trabalha em 190 países e territórios para transformar esse compromisso em ações concretas que beneficiem todas as crianças, em qualquer parte do mundo, concentrando especialmente seus esforços para chegar às crianças mais vulneráveis e excluídas.http://unicef.org.br/