Por quase quatro anos, cerca de 1.900 municípios em todo o Brasil decidiram usar a contribuição do Selo UNICEF – Edição 2017-2020 para cumprir suas responsabilidades constitucionais voltadas aos direitos de crianças e adolescentes. A cada etapa, uma palavra típica do Nordeste se fortalecia como uma definição possível para a iniciativa: “encangado”. Na linguagem informal, significa uma pessoa que só anda acompanhada de outra. E o Selo UNICEF disponibiliza, justamente, a proposta de um olhar e uma atuação coletivos para melhorar a vida de cada menina e menino. Nesse período, os gestores municipais também avançaram juntos, encangados, trocando experiências e compartilhando caminhos. 

Nessa reta final de comprovação de ações e resultados, os articuladores dos municípios ampliaram ainda mais a já intensa troca de informação. Nos grupos de conversa que reúnem os participantes de cada estado, as mensagens continham dúvidas sobre ferramentas, celebravam um bom resultado e compartilhavam iniciativas, a exemplo da garantia de acesso à saúde e atendimento de qualidade, do crescimento de crianças na escola, de ações na área de proteção e participação cidadã de adolescentes, entre outras.

“Temos uma equipe de prontidão para tirar as dúvidas e apoiar os municípios ao longo do Selo UNICEF. Mas a troca de informação entre eles é muito enriquecedora, pois eles vivenciam situações similares e podem contribuir bastante entre si”, destaca Graça Lima, coordenadora de projetos da Asserte, ONG parceira do UNICEF e implementadora do Selo UNICEF. Ao longo da edição, os gestores são estimulados a adotar ferramentas que podem contribuir com a implementação da política pública que já deve ser implementada no município, a exemplo da Busca Ativa Escolar. 

Colaboração aumenta na reta final

Apoio entre os municípios participantes 

A articuladora de Pimenteiras, no Piauí, Alyne Carvalho, comentou o esforço de cada articulador. “Foram tantos desafios e medos, mas não desistimos! Chegamos até aqui, sei que todos deram o seu melhor. Fomos guerreiros e guerreiras. Sou grata a cada anjo que apareceu na minha vida. A certificação é um grande incentivo, mas estamos juntos na defesa dos direitos das crianças e adolescentes”, disse.

Na Paraíba, o articulador da cidade de Araruna, André Santana, também agradeceu a troca de informação e a alegria partilhada entre os municípios. “Conseguimos finalizar tudo! Agora é esperar as análises e torcer pela certificação. Mas já avançamos bastante, apenas em participar”, destaca. O município de Maragogi, em Alagoas, também finalizou a comprovação. “Fizemos 90% das ações, na próxima vamos realizar 100%. Sou grata por ter a oportunidade de aprender tanto com as equipes municipais”, disse.

O prazo para a comprovação dos documentos comprobatórios encerra-se nesta terça-feira (30), e, a partir disso, os municípios aguardam as análises do UNICEF e parceiros. O único prazo que foi prorrogado, diante da pandemia e suspensão das aulas presenciais nas redes de ensino ampliado, foi o Resultado Sistêmico 2. A comprovação dessa ação de validação deve ser feita até o dia 30 de outubro. 

Sobre o Selo UNICEF
A Edição 2017-2020 do Selo UNICEF conta com a participação de 1.924 municípios de 18 estados brasileiros, na Amazônia e no Semiárido. Seu sucesso é resultado da parceria entre o UNICEF e governos estaduais e municipais por meio da atuação integrada entre diferentes níveis de governo voltados às crianças e adolescentes.
Alcançar 1.924 municípios que participam do Selo UNICEF só é possível graças ao apoio de milhares de doadores individuais e de parceiros corporativos como Amil, Instituto Net Claro Embratel, Fundação Itaú Social, RGE, Enel, Coelba, Cosern, Celpe, BNDES, CPFL, Sanofi, Energisa, Celpa e Cemar.  

Sobre o UNICEF
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos. Acompanhe nossas ações em www.unicef.org.br e no Facebook, Twitter, Instagram, YouTube e LinkedIn.