Existem quase 20 milhões de crianças no mundo, que não são vacinadas e/ou que não receberam todas as doses devidas de uma vacina. Essas crianças correm o risco de doenças graves, complicações e até morte. 

No Brasil, o Estatuto da Criança e do Adolescentes, Lei 8.069, de 13/07/1990, estabelece que “É obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias”. Em geral, as coberturas de todas as vacinas no território nacional estão abaixo do recomendado. Por isso, implementar estratégias para ampliar a cobertura vacinal de rotina das crianças de menores de 5 anos é uma Ação de Validação importante (10.4) do Selo UNICEF. A vacina é um direito da criança e o Brasil não pode perder as conquistas de ter erradicado doenças como a poliomielite, sarampo, rubéola e rubéola congênita.

Muitos pais querem vacinar seus filhos, mas não conseguem porque não têm acesso aos serviços de saúde. Mas, cada vez mais, alguns pais estão optando por não fazer a vacinação. Essa resistência surge por opiniões errôneas sobre vacinas ou complacência sobre a probabilidade de se infectar. 

Nesta Semana Mundial da Imunização, o UNICEF lançou uma campanha global para enfatizar o poder e a segurança das vacinas entre os pais e os usuários das redes sociais.

De 24 a 30 de abril, a Fundação Bill & Melinda Gates contribuirá com US$ 1 para o UNICEF a cada curtida ou compartilhamento de postagens em redes sociais usando a hashtag #VaccinesWork, até o teto de US$ 1 milhão. Faça parte dessa ação e ajude a garantir que todas as crianças recebam as vacinas necessárias, curta e compartilhe:

Ajude a proteger as crianças de doenças mortais dizendo aos pais em todo o mundo que #VacinasFuncionam (#VaccinesWork)!