Em momentos de crise, como a provocada pela pandemia da Covid-19, os índices de abandono e evasão escolares tendem a aumentar. Nesse cenário, a Busca Ativa Escolar (BAE) pode colaborar com as equipes municipais na execução de estratégias para evitar a exclusão de meninas e meninos da escola. Para apresentar a nova funcionalidade de acompanhamento da frequência escolar na plataforma, o UNICEF realizará quatro oficinas virtuais para os municípios do Selo UNICEF. 

As oficinas virtuais são destinadas aos gestores municipais de educação, articuladores municipais do Selo UNICEF, coordenadores operacionais da Busca Ativa Escolar e demais membros da equipe da BAE no município. Para apoiar a resposta a esse contexto desafiador foi elaborado o guia Busca Ativa Escolar em tempos de Crise e Emergências, que faz parte de um conjunto de recomendações e orientações da Busca Ativa Escolar que visam não deixar nenhuma criança e adolescente para trás. 

Assim como as redes educacionais, a estratégia da BAE também precisou ser reorientada para atender às necessidades que momentos emergenciais como o atual impõem e pode ser fundamental para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes.

Coloque na agenda!

Os primeiros encontros ocorrerão nesta terça-feira (22) e sexta-feira (25), às 10h (horário de Brasília), pelo canal do UNICEF no Youtube: https://www.youtube.com/UNICEFBrasil. Os outros acontecerão na terça-feira (29) e quinta-feira (01), também às 10h. 

Dica importante: inscreva-se no canal do Youtube e assine o sino para receber uma notificação no início da oficina! 

Sobre a Busca Ativa Escolar - A Busca Ativa Escolar é uma estratégia composta por uma metodologia social e uma ferramenta tecnológica disponibilizada gratuitamente para estados e municípios a fim de apoiá-los no enfrentamento da exclusão escolar, no fortalecimento da intersetorialidade entre as políticas e os serviços públicos, na promoção da atuação comunitária e familiar, bem como no fomento ao regime de colaboração entre os entes federados. Ela foi desenvolvida pelo UNICEF, em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). Até julho de 2020, mais de 3.160 municípios e 16 estados haviam aderido à estratégia, os quais estão atualmente em diferentes estágios de implementação.