80 municípios do semiárido mineiro participaram da capacitação sobre políticas públicas para a infância e adolescência

Representantes de 80 municípios de Minas Gerais se reuniram, nos últimos dias 24, 26 e 27 nas cidades de Araçuaí e Montes Claros com equipe do UNICEF para o 2o Ciclo de Capacitação do Selo UNICEF.

Participaram do encontro os Presidentes dos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente, Articuladores e Mobilizadores do Selo UNICEF de cada um destes municípios, além de meninas e meninos que integram os núcleos de cidadania dos adolescentes (NUCAs). 

Os participantes aprenderam sobre a metodologia de avaliação do Selo UNICEF, entenderam como os municípios serão agrupados para avaliação, quais indicadores serão monitorados e de que forma isso será feito.

Outro aspecto debatido durante o encontro foi a metodologia do 1o Fórum Comunitário, momento em que a comunidade participa da elaboração de um Plano de Ação pelos Direitos das Crianças e Adolescentes que deverá ser executado até 2020, período em que se encerra esta edição do Selo UNICEF.

Fabíola Pereira, representante do NUCA do município Senador Modestino Gonçalves, chamou a atenção para a necessidade de envolver os adolescentes na construção dos Fóruns Comunitários, não apenas como expectadores, mas como participantes de todo o processo. “Nós, adolescentes, queremos ter voz. Queremos participar, queremos poder expor nossa opinião, andar lado a lado com vocês, articuladores, mobilizadores e presidentes dos CMDCAs. Queremos ter igualdade”, reivindicou a adolescente de 15 anos.

Em nome dos demais adolescentes, que apresentaram um esquete teatral no último dia de capacitações sobre o assunto, Fabíola pediu atenção ainda para que Fórum Comunitário seja um evento dinâmico a fim de atrair os adolescentes. “A gente quer ter direito de se expressar, mas de modo que a gente mostre o que é realmente ser jovem e quais são os nossos direitos. Contamos com a ajuda de vocês, e podem contar com nossa ajuda também, mas queremos ser ouvidos”, resumiu. 


Pensando em dar voz aos meninos e meninas, o município de Catuti criou não apenas um, mas dois NUCAs. A articuladora do Selo UNICEF, Alessandra Kelly, explica que o primeiro deles foi instituído com 20 adolescentes na sede do município com apresentações culturais protagonizadas pelos próprios adolescentes e com a presença de diversas autoridades locais, incluindo o prefeito da cidade. “Isso motivou os adolescentes do distrito, então, decidimos criar o segundo NUCA de Catuti”, apontou com orgulho a articuladora do município, que foi contemplado com certificação internacional nas duas últimas edições do Selo UNICEF.


Descentralizar para contemplar a diversidade

No município de Montes Claros, o Fórum Comunitário será realizado em mais de 10 etapas, em cada um dos territórios socioassistenciais do município. A articuladora do Selo UNICEF do município, Daniela Teixeira Santos, explica que a decisão foi tomada considerando o porte da cidade e buscando contemplar a diversidade da população que nele vive. 

“A zona rural de Montes Claros é bastante extensa, e possui suas demandas e suas peculiaridades, assim como temos em nosso município uma comunidade quilombola. Pretendemos, com esta descentralização, atender a todos os públicos”, contou a articuladora, que é também é coordenadora de Políticas Públicas para a Infância e juventude pela Prefeitura Municipal de Montes Claros.

 

Participação dos adolescentes

 

No 2o Encontro de Capacitação do Selo UNICEF, os adolescentes tiveram um espaço próprio para debater temáticas e planejar ações que permearão os NUCAs ao longo desta edição do Selo UNICEF. Saúde sexual e reprodutiva, direito ao esporte seguro e inclusivo, alimentação saudável e inclusão escolar foram alguns dos assuntos sobre os quais os adolescentes conversaram.