Guia do(a) Mobilizador(a) de Adolescentes e Jovens

Guia do(a) Mobilizador(a) de Adolescentes e Jovens
Clique aqui par abaixar o Guia do(a) Mobilizador(a) de Adolescentes e Jovens

 

Sobre este Guia

Este caderno de atividades dos núcleos de cidadania de adolescentes é direcionado aos(às) mobilizadores(as) de adolescentes e jovens dos municípios participantes da Edição 2017-2020 do Selo UNICEF. Este material apresenta as responsabilidades dos(as) mobilizadores(as) de adolescentes e jovens do município, com dicas sobre como criar ou fortalecer um núcleo de cidadania de adolescentes e como envolver os(as) adolescentes do município nas atividades propostas em cada um dos oito desafios temáticos.

O objetivo deste Guia é orientar os municípios sobre como promover a participação cidadã de adolescentes. As ações aqui propostas complementam os esforços de gestores(as) de políticas públicas e da sociedade civil na busca por um município com menos desigualdades. 

Ao seguir as orientações desse material, o(a) mobilizador(a) estará contribuindo diretamente para que o município alcance o resultado sistêmico 17: mecanismos de escuta e participação da sociedade (especialmente de crianças e adolescentes) na elaboração e no controle social de políticas públicas institucionalizadas (resultado sistêmico obrigatório), de acordo com a metodologia do Selo UNICEF.

Além disso, ao implementar as ações referentes a cada desafio temático aqui proposto, os(as) adolescentes do município, com o apoio do(a) mobilizador(a), estarão contribuindo indiretamente para que sejam alcançados outros resultados sistêmicos, como:

Resultado sistêmico 2: Programa de busca ativa, inclusão e acompanhamento de crianças e adolescentes na escola (implementado, resultado sistêmico obrigatório);

Resultado sistêmico 4: Programas de melhoria do estado nutricional de crianças e adolescentes, incluindo a promoção do aleitamento materno e de alimentação saudável (implementados);

Resultado sistêmico 6: Serviços qualificados para a atenção integral à saúde de adolescentes e jovens em funcionamento conforme diretrizes do Ministério da Saúde (em funcionamento);

Resultado sistêmico 7: Ações de promoção de direitos sexuais e direitos reprodutivos, e prevenção das IST/aids voltadas para adolescentes e jovens (implementadas, resultado sistêmico obrigatório);

Resultado sistêmico 8: Estratégia para redução da distorção idade-série (implementada);

Resultado sistêmico 9: Estratégia de promoção da Igualdade Racial (implementada na rede escolar municipal);

Resultado sistêmico 12: Acesso ao esporte educacional, seguro e inclusivo garantido à totalidade de   crianças e adolescentes do município.

Ao longo da execução das ações propostas neste Guia, as portas do UNICEF e seus parceiros locais estarão sempre abertas aos(às) mobilizadores(as), para que possam tirar dúvidas, comentar e sugerir maneiras de ampliar a participação de adolescentes nos municípios inscritos no Selo UNICEF. 

Para conhecer melhor a iniciativa e garantir que a participação de adolescentes esteja integrada às demais ações do Selo UNICEF no município, recomenda-se que os(as) mobilizadores(as) mantenham diálogo regular com os(as) articuladores(as) do Selo UNICEF, e consultem o Guia Metodológico, disponível em: http://selounicef.org.br/documentos/SeloUNICEF_GuiaMetodologico_impress…

Sumário – Resumo da estratégia de mobilização de adolescentes

Neste sumário, você confere, em uma leitura rápida, todo o conteúdo deste Guia, compreendendo, assim, as linhas gerais da estratégia de mobilização de adolescentes do Selo UNICEF 2017-2020. Todos os itens aqui resumidos encontram-se descritos em detalhe em outros trechos deste material, conforme indicado a seguir. Confira as principais orientações presentes neste material e garanta que seu município consiga realizar o Direito de Ser Adolescente:

Núcleo de Cidadania de Adolescentes – Cada município deve criar ou fortalecer um núcleo com, no mínimo, 16 adolescentes (oito meninos e oito meninas), que terão a responsabilidade de mobilizar outros(as) adolescentes nas atividades propostas neste Guia, em diálogo com os(as) gestores(as) municipais. Não há limite máximo para o número de adolescentes que participam do núcleo. Se seu município já criou um núcleo de cidadania de adolescentes na edição anterior do Selo UNICEF, esse grupo pode ser renovado com a participação de outros(as) adolescentes. Mais detalhes na seção O que é o Núcleo de Cidadania de Adolescentes?

U-Report Brasil – Para comprovar que o núcleo de cidadania de adolescentes foi efetivado, os(as) adolescentes do município devem entrar no U-Report Brasil, uma plataforma de participação por meio de enquetes realizadas via Facebook, Twitter ou SMS. Pelo menos os 16 componentes do núcleo devem inscrever-se no U-Report Brasil, mas não há limite máximo para o número de inscritos na plataforma. Mais detalhes na seção U-Report Brasil

Mobilizador(a) de Adolescentes e Jovens – Os municípios que aderiram ao Selo UNICEF indicaram uma pessoa vinculada à gestão municipal cuja função é garantir que os meninos e as meninas do município se envolvam nas atividades descritas neste Guia, e que as propostas dos(das) adolescentes sejam levadas em consideração pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e pelas diversas instâncias do governo municipal.  Mais detalhes na seção Mobilizador(a) de Adolescentes e Jovens – Perfil e Dicas. 

Desafios temáticos – Para promover uma agenda contínua de participação de adolescentes até 2020, o UNICEF propõe um conjunto de oito desafios temáticos: 

Desafio 1: Promover o direito ao esporte seguro e inclusivo 

Desafio 2: Promover a alimentação saudável e prevenir a obesidade 

Desafio 3: Conhecer e divulgar a Lei da Aprendizagem para criar oportunidades de conciliar aprendizagem no emprego com permanência na escola 

Desafio 4: Promover o direito à inclusão digital e ao uso seguro da internet

Desafio 5: Promover a educação para a cidadania democrática – #Partiu Mudar [desafio obrigatório]

Desafio 6: Promover a inclusão escolar e a troca de saberes – Fora da escola não pode

Desafio7: Promover o direito à saúde sexual e saúde reprodutiva 

Desafio 8: Promover práticas de enfrentamento ao racismo 

 

Para cada desafio temático, o UNICEF propõe um conjunto de atividades. Cada atividade inclui:

  1. Uma ação a ser realizada com os(as) integrantes do núcleo de cidadania de adolescentes;
  2. Uma ação de mobilização social em que os(as) integrantes do núcleo convidam outros(as) adolescentes do município para atuar em relação ao desafio temático; e 
  3. Uma ação junto à gestão municipal, para estimular que as secretarias de governo, a Câmara de Vereadores e demais instâncias governamentais se abram para a participação cidadã de adolescentes. Neste Guia, são sugeridas algumas instâncias da gestão municipal a serem mobilizadas pelo núcleo de adolescentes, entre elas as secretarias de esporte, saúde e educação. O(A) mobilizador(a) de adolescentes e jovens pode conversar com o(a) articulador(a) do Selo UNICEF para definir a melhor instituição a ser acionada para cada atividade. O que importa é que a percepção e as propostas dos(as) adolescentes sobre aquele desafio temático sejam levadas em consideração pelos(as) gestores(as) de políticas públicas. 

Ao final desta edição do Selo UNICEF, o(a) mobilizador(a) de adolescentes e jovens deve ter apoiado os núcleos de adolescentes para garantir que realizem, no mínimo: todas as atividades referentes a dois desafios  e pelo menos uma atividade de cada um dos outros seis desafios – ou seja, dois desafios completos e seis desafios incompletos. Para assegurar o crescimento no número de adolescentes que participam do exercício democrático do Brasil por meio do voto, pede-se que um dos dois desafios completos a serem implementados seja o Desafio 5 – Promover a educação para a cidadania democrática – #Partiu Mudar. A decisão sobre o outro desafio fica a critério do núcleo de adolescentes.

Vínculo com o CMDCA – Propõe-se que os núcleos de cidadania de adolescentes atuem em diálogo regular com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), para ampliar a participação de adolescentes nessa instância e garantir que os representantes tanto da sociedade civil como do governo municipal que no Conselho tomem decisões levando em consideração a opinião e as propostas de adolescentes sobre questões ligadas a seus direitos.

Evento com gestores(as) de políticas públicas – O município deve organizar um evento, ou aproveitar uma atividade planejada no âmbito do Selo UNICEF, para que o núcleo de cidadania de adolescentes apresente os resultados das ações desenvolvidas pelos(as) adolescentes a representantes do setor público municipal, incluindo o Comitê do Selo UNICEF e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA). Nesse encontro, são os(as) adolescentes que conduzem as atividades (rodas de debate, palestras, encenações etc.).

Plataforma de monitoramento – Propõe-se que o(a) mobilizador(a) de adolescentes e jovens registre na plataforma de monitoramento do Selo UNICEF:

  1. Uma lista dos(as) participantes do núcleo de cidadania de adolescentes, com nome completo, idade, gênero (masculino ou feminino) e número do celular.
  2. Os formulários de registro das atividades realizadas pelos núcleos de adolescentes, a cada vez que uma atividade seja finalizada.

 

O que é o Núcleo de Cidadania de Adolescentes?

Como parte da metodologia do Selo UNICEF, propõe-se que os municípios mobilizem, organizem e criem espaços e/ou instâncias de participação de adolescentes. A ação central desta iniciativa é a criação de pelo menos um núcleo de cidadania de adolescentes em cada município participante. 

Nos municípios do Semiárido, os núcleos de cidadania de adolescentes são identificados pela sigla NUCA. Na Amazônia, os núcleos são identificados pela sigla JUVA (Juventude Unida pela Vida na Amazônia). Cada núcleo pode criar sua própria identidade. O importante é que espaços de participação dos adolescentes sejam construídos em cada município, e que tenham continuidade para além da iniciativa do Selo UNICEF. 

O núcleo é um grupo composto por pelo menos 16 adolescentes (oito meninas e oito meninos) de 12 a 17 anos de idade, que se organizam em rede, discutem questões importantes para seu desenvolvimento, implementam ações e levam suas reivindicações à gestão pública municipal. Não há limite máximo de adolescentes engajados(as) na iniciativa.

As atividades dos núcleos de cidadania de adolescentes têm como objetivos:

  • Garantir a realização do direito à participação cidadã de adolescentes, que é, a um só tempo, um direito e um instrumento para conhecer e reivindicar outros direitos, enfrentar vulnerabilidades e superar desigualdades que afetam suas vidas.
  • Compreender a perspectiva de adolescentes sobre o tema do desafio em questão, e levá-la à gestão municipal para que a considerem em suas decisões;
  • Ampliar os conhecimentos de adolescentes sobre o tema;
  • Descobrir talentos, fomentar habilidades e atitudes que contribuem para o desenvolvimento integral de adolescentes;
  • Apoiar adolescentes em seu processo de desenvolvimento integral, e garantir que participem da melhoria das condições de vida em seu município.

O núcleo de cidadania de adolescentes pode reunir jovens com diferentes características pessoais: com e sem deficiência, moradores de diferentes localidades do município, com e sem experiência em grêmios estudantis, grupos culturais, associações de moradores, entre outros coletivos. O importante é juntar uma turma que tenha boas ideias para ajudar o município a melhorar sua realidade. Caso haja muitos interessados, o município pode ter mais de um núcleo.

Propõe-se que os núcleos de cidadania de adolescentes atuem em diálogo com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, para ampliar a participação de jovens nessa instância, e garantir que suas opiniões e suas propostas sobre questões ligadas aos seus direitos sejam levadas em consideração.

A maneira de implementar o núcleo de cidadania de adolescentes depende do perfil de cada município, não há um formato estabelecido. O grupo pode reunir-se em associações comunitárias, escolas, galpões culturais ou ainda em uma sala de reuniões de uma secretaria do município ou da prefeitura. O núcleo pode ter o formato que vocês acharem que deve ter: a única regra é garantir a participação de adolescentes em atividades propostas neste Guia. E para isso, uma pessoa é fundamental: o(a) mobilizador(a) de adolescentes e jovens.

Os desafios propostos neste material são apresentados como um cardápio de possibilidades para que os(as) adolescentes dos núcleos de cidadania de adolescentes estejam sempre mobilizados(as) pela melhoria de vida de crianças e adolescentes do município. É possível definir como e quando realizar as atividades de cada desafio de acordo com as condições mais adequadas para o município. Assim sendo, os municípios têm autonomia em relação a como utilizar esse material. Entretanto, devem disponibilizar relatórios sobre as ações realizadas na plataforma de monitoramento do Selo UNICEF, com lista de participantes, fotos, vídeos e postagens nas mídias sociais.

 

Se seu município já criou um núcleo de cidadania de adolescentes na edição anterior do Selo UNICEF, esse grupo pode ser fortalecido e renovado com a participação de outros(as) adolescentes.

Para comprovar a existência de um núcleo de cidadania de adolescentes (mesmo daqueles que já existiam na edição anterior do Selo UNICEF), solicita-se que:

  • o(a) mobilizador(a) de adolescentes e jovens inclua a lista de participantes na plataforma de monitoramento do Selo UNICEF (modelo de lista de participantes na pág. X): e
  • os(as) adolescentes do núcleo registrem-se no U-Report Brasil, uma plataforma de consulta a adolescentes e jovens via Facebook, Twitter ou SMS (www.ureportbrasil.org.br), conforme explicado a seguir.

 

U-Report Brasil – Comprovando a existência do Núcleo de Cidadania de Adolescentes

Para comprovar a efetivação do núcleo de cidadania de adolescentes, pede-se que pelo menos 16 adolescentes do município, meninos e meninas entre 12 e 17 anos de idade, participem do U-Report Brasil. 

O U-Report é um robô – sim, um robô! – programado para ouvir o que as juventudes brasileiras têm a dizer. Por meio da mensagem (inbox) do Facebook, meninos e meninas podem opinar sobre assuntos que estão rolando e que realmente interessam, discutir e receber informações sobre temas importantes e pouco falados, como sexualidade, drogas e participação estudantil, além de se conectar com outros jovens que querem ter voz ativa no país. O resultado disso tudo fica nos nossos canais de comunicação: Twitter, Facebook e site!

Além dos(as) adolescentes de 12 a 17 anos dos núcleos de cidadania dos adolescentes, outros jovens do município, com até 25 anos de idade, podem participar do U-Report. 

Você pode interagir com o U-Report Brasil de três maneiras: 

1) Curtindo nossa página no Facebook (ureport.brasil), clicando em “Enviar mensagem” (Messenger) e depois em “Começar”. 

Depois desse primeiro passo no Facebook, vamos fazer algumas perguntinhas que você deve responder. Por último, vamos perguntar “Existe alguma palavra que trouxe você até aqui?” Você deve clicar no botão “Sou do Selo UNICEF!”. Vamos perguntar qual é o seu município, e pronto! Cadastro realizado!

2) Seguindo a gente no Twitter (@ureportbrasil)

Depois desse primeiro passo no Twitter, vamos fazer algumas perguntinhas que você deve responder. Por último, vamos perguntar “Existe alguma palavra que trouxe você até aqui?” Você deve clicar no botão “Sou do Selo UNICEF!”. Vamos perguntar qual é o seu município, e pronto! Cadastro realizado!

3) Enviando a palavra “entrei” por SMS para o número 28428. Relaxe, seus créditos não serão descontados, é gratuito!

Pronto, agora você já está em contato com a gente! Depois dessa primeira etapa, que pode ser cumprida em qualquer um dos três canais acima, vamos fazer algumas perguntinhas que você deve responder. Por último, vamos perguntar “Existe alguma palavra que trouxe você até aqui?” Você deve digitar a palavra “SELO”. Vamos perguntar qual é o seu município, e pronto! Cadastro realizado!

Como o nosso robô não consegue ler caracteres especiais, você deve responder APENAS o nome do município (não pode colocar o estado, por exemplo) em letras minúsculas, sem acento ou cedilha (ç), ok? 

Se você errar na primeira tentativa, basta escrever a palavra “selo” no inbox, e enviaremos a pergunta de novo! Dessa forma, o UNICEF consegue contar quantas pessoas de cada município se inscreveram, e pode usar o nosso robô para consultar e informar jovens de todo o Brasil sobre seus direitos. :)

 

Mobilizador(a) de adolescentes e jovens – perfil e dicas

Quem é o(a) mobilizador(a) de adolescentes e jovens? O perfil recomendado é o de uma pessoa com até 29 anos de idade, vinculada à gestão municipal, com experiência na mobilização de adolescentes e jovens. É importante que tenha excelente habilidade de comunicação, que use as mídias sociais e tenha acesso às redes de adolescentes e jovens (virtuais e presenciais). 

O(A) mobilizador(a) precisa manter postura aberta para trabalho intersetorial, com boa habilidade de articulação com diversos parceiros do governo e da sociedade civil. É importante que demonstre forte compromisso com os princípios dos Direitos Humanos e capacidade de diálogo, especialmente com adolescentes afrodescendentes, quilombolas, indígenas, pessoas com deficiência e outros grupos que caracterizem a diversidade da adolescência no município.

A indicação do(a) mobilizador(a) é uma novidade desta edição do Selo UNICEF, e deve ocorrer em diálogo com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

 

Suas responsabilidades são:

  • Garantir a formação (ou fortalecimento e renovação) do núcleo de cidadania de adolescentes no município, mapeando, convidando e mobilizando adolescentes nas escolas, grupos culturais, associações e outros coletivos.
  • Garantir que os(as) integrantes do núcleo de cidadania de adolescentes registrem sua participação por meio do U-Report Brasil, e sugerir ao núcleo que convide outros(as) adolescentes e jovens do município a ingressar na plataforma.
  • Garantir a presença de pelo menos dois adolescentes (um menino e uma menina) nas atividades de capacitação do Selo UNICEF sobre os temas deste Guia, e apoiá-los para que mobilizem outros(as) adolescentes do município, disseminando o que aprenderam.
  • Apoiar os(as) integrantes do núcleo de cidadania de adolescentes na definição de temas e implementação das atividades, articulando suas ações com as diversas instituições no município que desenvolvam atividades na área da infância e da adolescência, principalmente com o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

 

  • Até 2020, garantir que sejam realizadas, no mínimo:

1

- todas as atividades propostas no Desafio 5 – “Promover a educação para a cidadania democrática – #Partiu Mudar”, inclusive o alistamento eleitoral de adolescentes de 16 e 17 anos de idade.

2

- todas as atividades propostas em mais um desafio, a ser escolhido pelo núcleo de cidadania de adolescentes entre os outros sete temas.

3

Além de realizar todas as atividades desses dois desafios, deve ser realizada pelo menos uma atividade de cada um dos demais desafios.

  • Manter diálogo permanente com o(a) articulador(a) do Selo UNICEF no município, que, por sua vez, poderá acessar as secretarias de educação, saúde e assistência social, entre outras instâncias governamentais, para garantir que a opinião dos(as) adolescentes seja levada em consideração em ações, programas e políticas públicas do município.
  • Registrar a lista de presença e as atividades do núcleo de cidadania de adolescentes na plataforma de monitoramento do Selo UNICEF. As ações podem ser postadas também nas mídias sociais, com links disponíveis na plataforma de monitoramento. A plataforma de monitoramento será, portanto, o espaço virtual de registro e documentação junto ao UNICEF, com fotos, vídeos e descrições das atividades e seus resultados. 

 

Dicas para o(a) mobilizador(a)

Sugerimos que seja feito um mapeamento dos grupos de adolescentes já existentes. Existem no município organizações que já atuam com adolescentes em projetos sociais, grupos culturais, coletivos ou associações? Se existirem, convide-as para um encontro para apresentar a ideia do núcleo de cidadania de adolescentes, e forme um conselho inicial de adolescentes líderes que possam ajudar a convidar outros(as) adolescentes para fazer parte da iniciativa. 

Caso não encontre grupos de adolescentes, a proposta é que você visite algumas escolas para fazer o convite. Reforce a importância da participação de adolescentes que costumam estar sub-representados nos grupos, garantindo a participação de meninos e meninas de diferentes raças e etnias e de adolescentes com deficiência, e incluindo pessoas de 12 a 17 anos de diferentes áreas do município, estilos e gostos. 

É recomendável que o encontro seja divulgado em todos os cantos da cidade, para ampliar ainda mais a possibilidade de participação de adolescentes. Utilize rádios comunitárias, cartazes, mídias sociais para fazer a divulgação. Envolva os(as) adolescentes nesse processo de divulgação, para que disseminem a informação e tragam outros jovens para o núcleo de cidadania de adolescentes.

Para apresentar a ideia do núcleo de cidadania de adolescentes e definir quem vai participar, propõe-se que seja organizado um encontro de um turno (manhã ou tarde) com adolescentes e com o(a) articulador(a) local do Selo UNICEF. 

O nome, a idade e o telefone (de quem tiver), o e-mail ou qualquer forma de contato dos(as) participantes devem estar registrados na Lista de Participantes. Todos(as) os(as) participantes também devem registrar-se na Plataforma U-Report Brasil.

É recomendável que o(a) articulador(a) do Selo UNICEF esteja sempre a par das ações do núcleo de cidadania de adolescentes, para facilitar a sintonia entre a mobilização de adolescentes e outros esforços do município no âmbito do Selo UNICEF, incluindo fóruns comunitários e outras ações.

Você pode definir com o grupo quantos, quando e onde os encontros serão realizados, criando um cronograma de ações. Esse plano de trabalho pode ser aprofundado em outro encontro, mas seria importante já definir que meses serão dedicados a cada tema, mesmo que seja necessário adaptar o calendário posteriormente. Também é importante definir como será feito o contato entre os integrantes do grupo: por telefone, whatsapp, facebook etc.

É importante que os resultados das ações do núcleo sejam apresentados formalmente à comissão do Selo UNICEF, como contribuição para a melhoria das políticas públicas e das ações sobre o tema escolhido. A programação do evento pode ser definida em um dos encontros do grupo, com apoio do(a) mobilizador(a) de adolescentes e jovens e do(a) articulador(a) do Selo UNICEF no município, contando com a presença de gestores(as) municipais, integrantes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, representantes da sociedade civil e outros atores considerados importantes para o debate sobre o tema a ser abordado – incluindo, é claro, os(as) adolescentes. 

Ao convidar adolescentes para um evento, você pode fazer uma relação de tudo o que seja necessário: materiais, transporte, alimentação, recursos audiovisuais e outros itens importantes para um encontro envolvente e dinâmico. Apoiadores podem ser acionados para ajudar no encontro, mas não esqueça que as apresentações devem ser conduzidas pelos(as) adolescentes. Esses jovens podem se preparar para isso nas semanas e/ou dias anteriores, definindo as mensagens centrais a serem compartilhadas na apresentação (conteúdo), e propondo o formato em que as mensagens serão transmitidas (palestras, encenações, vídeos, rodas de debate etc.).

 

O direito de ser adolescente

As adolescências brasileiras são plurais. Além das características pessoais que definem valores, desejos e jeitos de ser de cada um, em cada uma das diferentes regiões do país, aspectos socioeconômicos, ambientais e culturais influenciam a maneira como essa fase da vida é vivenciada. Compreender e respeitar o contexto em que vivem os(as) adolescentes é fundamental para potencializar essa fase de desenvolvimento como uma fase de oportunidades, marcada por intenso desenvolvimento físico, psíquico, mental, social e intelectual. A adolescência é um período propício para que os(as) jovens troquem ideias, conheçam pessoas, elaborem planos, ajam coletivamente para o próprio desenvolvimento e para a melhoria do local onde vivem. 

Todos ganham com a participação de adolescentes. Ao dialogar com adolescentes, os(as) gestores(as) conseguem perceber a perspectiva de quem está na ponta das políticas públicas, ou seja, das pessoas que precisam de serviços de qualidade para se desenvolver por meio de educação, saúde, esporte e lazer, convivência familiar e comunitária. Sem esse diálogo, os responsáveis pelas políticas públicas não teriam acesso à riqueza das informações que os(as) adolescentes podem transmitir.     

Além disso, ao investir em adolescentes, fortalecendo a capacidade de responder às suas demandas, o município cresce acompanhando o crescimento das gerações mais jovens, garantindo que assumam a posição de tomadores(as) de decisão com mais conhecimentos, mais habilidades e atitudes favoráveis ao seu próprio desenvolvimento e ao bem-estar coletivo de suas famílias e suas comunidades. 

Seu município não está sozinho. Meninas e meninos de 1.902 municípios de 18 estados da Amazônia e do Semiárido fazem parte desta rede de adolescentes engajados pela melhoria de sua região, organizados nos núcleos de cidadania de adolescentes, com o apoio do(a) mobilizador(a) de adolescentes e jovens.

Na região Amazônica e no Semiárido brasileiro, os(as) adolescentes vêm atuando pela melhoria de sua região com criatividade e muita inovação. De 2013 a 2016, mais de 11 mil meninos e meninas do Semiárido e dez mil da Amazônia participaram de oficinas para desenvolver competências para a vida, envolveram-se em campanhas para eliminar o mosquito transmissor de dengue, zika e chikungunya, estiveram presentes em fóruns comunitários para compreender os indicadores sociais da região, traçaram estratégias de implementação da caderneta de saúde de adolescentes, discutiram com gestores(as) de políticas públicas sobre a qualidade do Ensino Médio, entre outras ações coletivas pela garantia de seus direitos. 

 

Para saber mais:

 

Desafios temáticos

Vamos conhecer agora os oito desafios, detalhadamente. Lembre-se que o desafio de número 5 é obrigatório para a pontuação no Selo UNICEF e, portanto, as ações relacionadas a ele devem ser realizadas integralmente, isto é, devem ser concluídas todas as atividades propostas. Além dele, você deve escolher algum outro desafio e também realizar todas as atividades nele propostas.

Quanto aos demais desafios, você pode escolher a atividade que mais interessar ao grupo.

Não existe uma ordem para enfrentar os desafios. Você pode articular as propostas deste Guia com atividades que estão acontecendo no município.

 

O importante é que, até junho de 2020, o núcleo de cidadania de adolescentes tenha realizado todas as atividades de dois desafios e pelo menos uma atividade de cada um dos outros seis desafios.

 

Logo após a realização de cada atividade, o(a) mobilizador(a) deve inserir na plataforma do Selo UNICEF o relatório da atividade com as demais informações.

 

Lembre-se que a realização das atividades do núcleo de cidadania dos adolescentes é condição fundamental para fortalecer a participação dos(as) adolescentes, e que sem realizá-las completamente o município não conseguirá alcançar a pontuação para o Selo UNICEF no Resultado Sistêmico 17.